Seja Ele o teu Amor

Em destaque

Etiquetas

, ,

Meu Amigo Peregrino

icone-da-amizade 11

“Põe em Deus tua confiança; seja Ele o teu Amor e temor; responderá por ti e fará o que melhor te convier. Não tens aqui morada permanente e onde quer que estejas serás estrangeiro e peregrino; e, se não estiveres, intimamente, unido a Cristo, em lugar algum encontrarás repouso”.

Imitação de Cristo, Livro II, Cap. I, pág. 92 ( Edição Paulinas )

Paz e Bem!

Festejo de Santa Teresinha

Etiquetas

DSC01719

Dom Jacinto Brito, Arcebispo de Teresina/PI e Fr Bernardo, Ministro Provincial dos Franciscanos OFM MA/PI. Foto tirada no festejo de Santa Teresinha, na Catedral de Bacabal, MA. Paz e Bem!

Comentário do Evangelho do dia, Lucas 8,16-18.

Etiquetas

lamparina

A luz na lamparina

«Ninguém acende uma candeia para a cobrir com um vaso.» Com estas palavras, Jesus incita os seus discípulos a levarem uma vida irrepreensível, aconselhando-os a que velem constantemente sobre si mesmos, dado que estão postos sob o olhar de todos os homens, quais atletas num estádio, vistos de todo o universo (1Cor 4,9).

E declara-lhes também: «Não penseis: “Podemos sentar-nos calmamente porque estamos escondidos num cantinho do mundo”, porque sereis visíveis a todos os homens, qual cidade situada no alto de uma montanha (Mt 5,14), qual luz que, no interior de uma casa, se colocou sobre uma lamparina. […] Eu alumiei a luz da vossa lamparina, mas a vós compete mantê-la, não apenas para vossa vantagem pessoal, mas também no interesse de todos quantos a virem e forem por ela conduzidos à verdade.

As piores maldades não poderão nunca lançar uma sombra sobre a vossa luz, se viverdes na vigilância daqueles que são chamados a levar o mundo inteiro ao bem. Assim pois, que a vossa vida corresponda à santidade do vosso ministério, para que a graça de Deus seja anunciada por toda a parte

Paz e Bem!

Fonte: São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero de Antioquia, bispo de Constantinopla, doutor da Igreja. Homilias sobre o evangelho de Mateus, n°15

30 anos a serviço da Vida e da Esperança!

image

Pastoral da Criança MA por Peregrino Franciscano no Flickr.
Vera Lúcia,  coordenadora Nacional da Pastoral da Criança, Fr Bernardo, Provincial dos Franciscanos OFM MA/PI e Ir Adiles da Coordenação da Pastoral da Criança da Diocese de Brejo!
Veja no link abaixo nosso Album com as fotos e nossos Parabéns a todos(as) da Pastoral da Criança! 
Basta seguir este link para ver e comentar a foto:
https://flic.kr/p/p3rEyW

Meditação do Evangelho do Dia!

Etiquetas

,

«São-lhe perdoados os seus muitos pecados»

Evangelho segundo S. Lucas 7,36-50

A Igreja oferece a todos a possibilidade de percorrerem o caminho da santidade, que é a vereda do cristão: permite-nos encontrar Jesus Cristo nos sacramentos, especialmente na Confissão e na Eucaristia; comunica-nos a Palavra de Deus, faz-nos viver na caridade, no amor de Deus por todos. Interroguemo-nos pois: deixamo-nos santificar? Somos uma Igreja que chama e recebe de braços abertos os pecadores, que incute coragem e esperança, ou somos uma Igreja fechada em si mesma? Somos uma Igreja na qual se vive o amor de Deus, na qual se presta atenção ao próximo, na qual rezamos uns pelos outros?
Uma última pergunta: o que posso fazer, eu, que me sinto débil, frágil, pecador? Deus diz-te: não tenhas medo da santidade, não tenhas medo de apostar alto, de te deixares amar e purificar por Deus, não tenhas receio de te deixares guiar pelo Espírito Santo. Deixemo-nos contagiar pela santidade de Deus. Cada cristão é chamado à santidade (cf Lumen gentium, 39-42); e a santidade não consiste antes de tudo em fazer coisas extraordinárias, mas em deixar agir Deus. É o encontro da nossa debilidade com a força da sua graça, é ter confiança na sua obra, que nos permite viver na caridade, fazer tudo com alegria e humildade, para glória de Deus e o serviço ao próximo. Há uma frase célebre do escritor francês Léon Bloy; nos últimos momentos da sua vida, ele dizia: «Só existe uma tristeza na vida, a de não ser santo».

Paz e Bem!

Fonte: Audiência geral de 02/10/2013 (trad. © copyright Libreria Editrice Vaticana, rev)

Todos os atletas se impõem a si muitas privações !

Etiquetas

, ,

Evangelização Franciscana

Meditação para o Peregrinos: 1 Cor 9,16-27

16 Anunciar o Evangelho não é glória para mim; é uma obrigação que se me impõe. Ai de mim, se eu não anunciar o Evangelho! 17 Se o fizesse de minha iniciativa, mereceria recompensa. Se o faço independentemente de minha vontade, é uma missão que me foi imposta. 18 Então em que consiste a minha recompensa? Em que, na pregação do Evangelho, o anuncio gratuitamente, sem usar do direito que esta pregação me confere. 19 Embora livre de sujeição de qualquer pessoa, eu me fiz servo de todos para ganhar o maior número possível. 20 Para os judeus fiz-me judeu, a fim de ganhar os judeus. Para os que estão debaixo da lei, fiz-me como se eu estivesse debaixo da lei, embora o não esteja, a fim de ganhar aqueles que estão debaixo da lei. 21 Para os que não têm lei, fiz-me como se eu não tivesse lei, ainda que eu não esteja isento da lei de Deus – porquanto estou sob a lei de Cristo -, a fim de ganhar os que não têm lei. 22 Fiz-me fraco com os fracos, a fim de ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, a fim de salvar a todos. 23 E tudo isso faço por causa do Evangelho, para dele me fazer participante. 24 Nas corridas de um estádio, todos correm, mas bem sabeis que um só recebe o prêmio. Correi, pois, de tal maneira que o consigais. 25 Todos os atletas se impõem a si muitas privações; e o fazem para alcançar uma coroa corruptível. Nós o fazemos por uma coroa incorruptível. 26 Assim, eu corro, mas não sem rumo certo. Dou golpes, mas não no ar. 27 Ao contrário, castigo o meu corpo e o mantenho em servidão, de medo de vir eu mesmo a ser excluído depois de eu ter pregado aos outros.

Paz e Bem!

O Terço é a oração do meu coração

Etiquetas

,

rosário mariano

Papa Francisco: O Terço é a oração do meu coração

O Santo Padre escreve à mão algumas linhas do prefácio do livro do seu secretário, padre Yoannis Lahzi Gaid sobre a oração mariana

Por Redacao

“O Terço é a oração que sempre acompanha a minha vida; é também a oração dos simples e dos santos… é a oração do meu coração”. São as palavras que o Papa Francisco escreveu à mão como o prefácio do pequeno livro “Il Rosario. Preghiera del cuore”, edições Shalom. O volume é obra o sacerdote de rito copto católico Yoannis Lahzi Gaid, que desde há alguns meses trabalha na secretaria particular do Papa.

Francisco – relata o site Vatican Insider – quis, então, convidar à leitura sigilando com próprio punho estas poucas palavras, significativamente datas no dia 13 de maio de 2014, festa de Nossa Senhora de Fátima.

Lançado em árabe, há alguns anos, o livro do padre Yoannis já teve umas 130 mil cópias, apesar dos coptas católicos serem uma pequena comunidade. A editora Shalom publicou agora a nova edição italiana com o acréscimo das palavras de Francisco e com a inclusão, no texto, de alguns trechos dos discursos de Bergoglio sobre Maria, que se junta ao dos seus antecessores.

No livreto – explica ainda Vatican Insider – contém a estrutura da tradicional oração mariana, todas as fórmulas e as orações, os mistérios com os textos evangélicos e o comentário. A peculiaridade do trabalho está na possibilidade de rezar o Terço tendo em conta a tradição oriental e ocidental. O leitor encontrará, de fato, até mesmo páginas com textos e orações tiradas da liturgia oriental.

Paz e Bem!

Fonte: ROMA, 11 de Setembro de 2014 (Zenit.org)

Celebração com o povo de Deus

Etiquetas

,

image

Festejo de Bom Jesus dos Aflitos, de 05 a 14 de setembro de 2014!

“Bom Jesus dos Aflitos, semeador da Palavra e da Vida!”

Paz e Bem!

Nosso Bom Jesus

Etiquetas

,

image

O Pároco Fr Elealdo com a imagem do Bom Jesus dos Aflitos, que tem como dia Solene a Festa da Exaltação da Santa Cruz, neste próximo Domingo dia 14 de setembro de 2014. Paz e Bem!

Um sinal de comunhão e amizade missionária

Etiquetas

,

image

Nossos frades agradecem o gesto de amizade e comunhão missionária dos nossos frades, Benfeitores, paroquianos e devotos de São Francisco de toda a nossa Província no MA e no PI; que nos acompanham com a oração e a ajuda econômica solidária, pois graça a toda esta rede de fraternidade, temos a graça de ajudar nossa presença missionária em Caracol com a manutenção da nossa fraternidade e das atividades da evangelização do nosso povo nesta região. A todos nossa gratidão e que Deus abençoe a todos com muita Paz e todo Bem!

Franciscanos no Nordeste do Brasil

Etiquetas

,

image

Fr Jaredi, nosso guardião, nos mostra o local onde se encontra nossa missão, na fronteira com o grande estado da Bahia, bem no sul do Piauí. Paz e Bem!

Encontro Missionário

Etiquetas

,

image

Encontro com Dom João, Bispo de São Raimundo Nonato, PI. E nossos frades da nossa fraternidade missionária da paróquia de Bom Jesus dos Aflitos, cidade de Caracol,PI. Paz e Bem!

Rota Missionária Bacabal/MA a Caracol/PI

Etiquetas

,

Bacabal a Caracol

Nossa rota missionária de Bacabal/MA( sede da nossa Província) até Caracol/PI da Diocese de São Raimundo Nonato. Ao todo são +-12h de viagem, 6h até Floriano/PI ( parada para uma refeição e encontro com os frades) e mais 6h até a cidade de Caracol. Um trajeto de 835Km de estrada, estrada boa mais muito sinuosa, com muitas curvas e serras e um grande movimento de cargas com mercadorias agrícolas e etc.

A cidade de Caracol foi fundada em 22 de agosto de 1948, tem hoje em média 10.212 hab. ( IBGE de 2010) e fica a 608 km de distancia da Capital do PI, Teresina. Estas são algumas informações para localizarmos um pouco onde se encontra nossa Missão Franciscana.

Paz e Bem!

Uma paróquia Missionária

Etiquetas

, ,

Festejo de São Francisco das Chagas vivendo a Alegria do Evangelho!

Os dois textos enviados sobre o primeiro ano de aniversário da Alegria do Evangelho e sobre a Misericórdia na Igreja, do Papa Francisco, dedico de modo especial à todos da Paróquia de São Francisco das Chagas, Bacabal/MA.

Neste ano o Pároco com toda a equipe pastoral e missionária da paróquia escolheram como tema central a Alegria do Evangelho do Papa Francisco e em todas as noites o povo medita as intuições essenciais para uma comunidade verdadeiramente missionária e evangelizadora.

A leitura, a formação permanente, a celebração e a missão ( uma Igreja em saída) são a fonte de uma nova Evangelização. Esperamos poder ajudar possibilitando que a riqueza destes textos possam chegar ao maior numero de irmãos possíveis e assim o Evangelho possa ser mais conhecido, amado e testemunhado com alegria.

Nossa abraço a todos da Paróquia de São Francisco das Chagas, em Bacabal. Que Deus abençoe a todos e parabéns pelo belíssimo festejo e participação de todos. Viva São Francisco e viva todos os seus devotos que se alegram por serem discípulos e missionários, por serem, uma paróquia missionária franciscana. Paz e Bem a todos!

Fr Bernardo! Vosso Ministro e irmão Menor!

O essencial do Evangelho é a misericórdia

Etiquetas

, ,

As palavras do Papa na catequese realizada durante Audiência Geral

Queridos irmãos e irmãs, bom dia

No nosso itinerário de catequeses sobre a Igreja, estamos nos concentrando em considerar que a Igreja é mãe. Na última vez, destacamos como a Igreja nos faz crescer e, com a luz e a força da Palavra de Deus, nos indica o caminho da salvação e nos defende do mal. Hoje gostaria de destacar um aspecto particular desta ação educativa da nossa mãe Igreja, isso é, como ela nos ensina as obras de misericórdia.

Um bom educador aponta para o essencial. Não se perde nos detalhes, mas quer transmitir aquilo que realmente conta para que o filho ou aluno encontre o sentido e a alegria de viver. É a verdade. E o essencial, segundo o Evangelho, é a misericórdia. O essencial do Evangelho é a misericórdia. Deus enviou o seu Filho, Deus se fez homem para nos salvar, isso é, para nos dar a sua misericórdia. Jesus diz isso claramente, resumindo o seu ensinamento para os discípulos: “Sede misericordiosos, como o vosso Pai é misericordioso” (Lc 6, 36). Pode existir um cristão que não seja misericordioso? Não. O cristão necessariamente deve ser misericordioso, porque isto é o centro do Evangelho. E fiel a este ensinamento, a Igreja só pode repetir a mesma coisa aos seus filhos: “Sede misericordiosos”, como o é o Pai, e como o foi Jesus. Misericórdia.

E então a Igreja se comporta como Jesus. Não faz lições teóricas sobre amor, sobre misericórdia. Não difunde no mundo uma filosofia, uma via de sabedoria… Certo, o Cristianismo é também tudo isso, mas por consequência, reflexo. A mãe Igreja, como Jesus, ensina com o exemplo, e as palavras servem para iluminar o significado dos seus gestos.

A mãe Igreja nos ensina a dar de comer e de beber a quem tem fome e sede, a vestir quem está nu. E como faz isso? Com o exemplo de tantos santos e santas que fizeram isto de modo exemplar; mas o faz também com o exemplo de tantos pais e mães, que ensinam aos seus filhos que aquilo que sobra para nós é para aqueles a quem falta o necessário. É importante saber isso. Nas famílias cristãs mais simples, sempre foi sagrada a regra da hospitalidade: não falta nunca um prato e uma cama para quem tem necessidade. Uma vez uma mãe me contava – na outra diocese – que queria ensinar isto aos seus filhos e dizia a eles para ajudar e dar de comer a quem tem fome; ela tinha três filhos. E um dia, no almoço – o pai estava fora a trabalho, estava ela com os três filhos, pequenos, 7, 5 e 4 anos, mais ou menos – e bateram à porta: era um senhor que pedia o que comer. E a mãe lhe disse: “Espere um minuto”. Entrou e disse aos filhos: “Há um senhor ali que pede o que comer, o que fazemos?”. “Demos a ele o que comer, mãe, demos a ele!”. Cada um tinha no prato um bife com batatas fritas. “Muito bem – disse a mãe – peguemos a metade de cada um de vocês e demos a ele a metade do bife de cada um”. “Ah não, mãe, assim não é bom!”. “É assim, você deve dar do seu”. E assim esta mãe ensinou aos filhos a dar de comer da própria comida. Este é um belo exemplo que me ajudou muito. “Mas não me sobra nada…”. “Dai do teu!”. Assim nos ensina a mãe Igreja. E vocês, tantas mães que estão aqui, sabem o que devem fazer para ensinar aos seus filhos para que partilhem as suas coisas com quem tem necessidade.

A mãe Igreja ensina a estar próximo de quem está doente. Quantos santos e santas serviram Jesus deste modo! E quantos simples homens e mulheres, a cada dia, colocam em prática esta obra de misericórdia em um quarto de hospital, ou de uma casa de repouso, ou na própria casa, ajudando uma pessoa doente.

A mãe Igreja ensina a estar próximo a quem está preso. “Mas, padre, não, isto é perigoso, é gente má”. Mas cada um de nós é capaz… Ouçam bem isto: cada um de nós é capaz de fazer a mesma coisa que aquele homem ou aquela mulher que está na prisão fez. Todos temos a capacidade de pecar e de fazer o mesmo, de errar na vida. Não é pior que eu ou você! A misericórdia supera todo muro, toda barreira e te leva a procurar sempre a face do homem, da pessoa. E é a misericórdia que muda o coração e a vida, que pode regenerar uma pessoa e permitir a ela inserir-se de modo novo na sociedade.

A mãe Igreja ensina a estar próximo de quem está abandonado e morre sozinho. É aquilo que fez a beata Teresa pelos caminhos de Calcutá; e aquilo que fizeram e fazem tantos cristãos que não têm medo de estender a mão para quem está prestes a deixar este mundo. E também aqui a misericórdia dá paz a quem parte e a quem fica, fazendo-nos sentir que Deus é maior que a morte e que permanecendo Nele mesmo a última separação é um “até logo”… Beata Teresa havia entendido bem isto! Diziam a ela: “Madre, isto é perder tempo!”. Encontrava gente morrendo pelo caminho, gente que começava a ter o corpo comido por ratos das ruas, e ela os levava para casa para que morressem limpos, tranquilos, acariciados, em paz. Ela dava a eles o “até logo”, a todos estes… E tantos homens e mulheres como ela fizeram isto. E eles os esperam, ali [aponta para o céu], na porta, para abrir a porta do Céu. Ajudar as pessoas a morrer bem, em paz.

Queridos irmãos e irmãs, assim a Igreja é mãe, ensinando aos seus filhos as obras de misericórdia. Ela aprendeu este caminho com Jesus, aprendeu que isto é o essencial para a salvação. Não basta amar quem nos ama. Jesus diz que isso o fazem os pagãos. Não basta fazer o bem a quem nos faz o bem. Para mudar o mundo para melhor é necessário fazer o bem a quem não é capaz de nos retribuir, como o Pai fez conosco, doando-nos Jesus. Quanto pagamos pela nossa redenção? Nada, tudo de graça! Fazer o bem sem esperar nada em troca. Assim fez o Pai conosco e nós devemos fazer o mesmo. Faça o bem e siga adiante!

Que belo é viver na Igreja, na nossa mãe Igreja que nos ensina estas coisas que Jesus nos ensinou. Agradeçamos ao Senhor, que nos dá a graça de ter como mãe a Igreja, ela que nos ensina o caminho da misericórdia, que é o caminho da vida. Agradeçamos ao Senhor.

Paz e Bem!

Fonte: CIDADE DO VATICANO, 10 de Setembro de 2014 (Zenit.org) – Na Audiência Geral desta quarta-feira (10), o Papa Francisco continuou o ciclo de catequeses sobre a Igreja. Apresentamos o texto na íntegra.

1 ano da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium do Papa Francisco

Etiquetas

, ,

A Evangelii Gaudium transparece perfeitamente a alma de Francisco

Por Thácio Siqueira

BRASíLIA, 10 de Setembro de 2014 (Zenit.org) – No dia 24 de novembro desse ano comemoramos 1 ano da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium do Papa Francisco. Nela, o santo padre recolheu os trabalhos do sínodo dedicado à nova evangelização para a transmissão da fé, celebrado de 7 a 28 de outubro de 2012, no Vaticano.

Com um ano de distância, porém, podemos notar que essa exortação tem sido um verdadeiro programa de pontificado. Ao longo dos 300 pontos do documento, o pontífice falou da sua visão da Igreja e do mundo, aprofundando em ideias que ele tem constantemente repetido em suas pregações.

Francisco exprimiu o seu “sonho com uma opção missionária capaz de transformar tudo, para que os costumes, os estilos, os horários, a linguagem e toda a estrutura eclesial se transforme num canal adequado para a evangelização do mundo atual, mais do que para a autopreservação”.

Massimo Introvigne, sociólogo italiano autor de O Segredo do Papa Francisco (Milão, 2013) e pai da teoria do “efeito Francisco”, disse no ano passado à ZENIT que o papa já trouxe de volta à Igreja fiéis que estavam afastados.

“Vamos olhar para o título: ele fala de evangelização e de alegria. O papa repete: todos devem evangelizar. Com este documento, que é verdadeiramente histórico, a Igreja passa para uma etapa que, em inglês, é chamada de evangelical, na qual não se foca na administração dos fiéis que vão à missa, mas na capacidade de buscar e de converter aqueles que não vão à igreja”, disse Introvigne em entrevista à ZENIT.

Entre os muitos aplausos recebidos no mundo, a exortação apostólica Evangelii Gaudium, do papa Francisco, recebeu também em 2013 o “interesse e apreço” do Conselho Ecumênico das Igrejas (WCC, na sigla em inglês), que a qualificou como “um documento desafiador e estimulante”.

Conforme relatado pela mesma Rádio Vaticano, o secretário geral do WCC, o pastor norueguês Olav Fykse Tveit, declarou: “A exortação apostólica é mais do que apenas um texto que transmite a mensagem do sínodo sobre a evangelização. Ela aborda a necessidade de renovação da Igreja em todos os níveis, do ponto de vista do chamado a ser uma igreja em missão, usando um tom aberto e ao mesmo tempo desafiador e estimulante”.

Por outro lado, o Rabino David Rosen, diretor para assuntos inter-religiosos do Comitê Judaico Americano, declarou também em 2013 a sua apreciação pelas partes dedicadas ao diálogo inter-religioso, em particular nas relações com o judaísmo. “A ênfase dada à importância dos valores do judaísmo para os cristãos – disse Rosen – é particularmente importante para a evolução nas relações entre a Igreja Católica e o povo judeu”.  De acordo com o rabino, que já se encontrou quatro vezes com o papa Francisco, desde a sua eleição em março, a referência à importância do diálogo inter-religioso para a promoção da paz e para aprender a aceitar os outros e as diferenças, é um “incentivo eficaz para um maior respeito e harmonia em nosso mundo”.

Afirmar simplesmente que o papa Francisco não priorizou no seu pontificado a questão doutrinária ou moral, e contrapô-lo, assim, ao Papa Bento XVI é um erro grande. O mesmo cardeal Dom Raymundo Damasceno, em entrevista a ZENIT, dizia: “Quanto aos temas morais, o Papa Francisco tem dado uma abordagem mais propositiva sem, contudo, mudar a doutrina da Igreja.”, esclareceu o cardeal.

Num mundo marcado pelo relativismo, disse Dom Raymundo: “Devemos lembrar das palavras de Cristo aos seus apóstolos: “quem vos escuta, a mim escuta.” (Lc 10,16). Por isso, os fiéis devem receber com docilidade os ensinamentos e as diretrizes que o Papa e os Bispos lhes dão sob diferentes formas”, afirmando que o católico não só pode, como deve confiar no Papa Francisco.

Portanto, o Papa Francisco tem seguido fielmente a inspiração do Espírito Santo para o seu pontificado. Escreveu um programa de pontificado com a Evangelii Gaudium e o cumpriu brilhantemente, demonstrando que essa exortação estava mais no seu coração do que em suas letras ou escritos. Não se contrapôs a nenhum dos seus predecessores, e mais ainda, reconquistou para Cristo muitos católicos que estavam afastados da Igreja.

Paz e Bem!

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 423 outros seguidores